Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]




A ficção nacional e a telenovela governamental

por Ana Gabriela A. S. Fernandes, em 25.06.09

Já viram a trabalheira que dá reconstituir a ficção nacional e a telenovela governamental?

É que não se pode iniciar pelo início, é pelo meio que podemos pegar na história, e às vezes por mero acaso. Quantas histórias estarão por contar, porque foram camufladas?

 

Esta mais recente, por exemplo, só a apanhámos a meio, e agora temos de caminhar ao contrário para a reconstituir. Passo a passo. Isto é quase como o trabalho apurado do Poirot. 

E mesmo que digam que os bloggers não contam factos, porque os desconhecem, que só especulam, só posso dizer: e porque será? Não será porque os cidadãos não têm acesso à informação? Os negócios que envolvem o estado não deveriam ser transparentes, e a informação estar acessível? Afinal não é um investimento público?

 

Caminhar ao contrário, passo por passo, e reconstituir a história. Para já, posso perceber que esta telenovela já se iniciou há algum tempo, não surgiu agora de repente.

O primeiro passo, andando para trás, parece-me aquela entrevista de Judite de Sousa ao actual presidente da PT e a apresentação (ou construção) de uma personagem-enquanto-gestor-competente. Claro que estou a especular, mas tudo agora me surge à frente como uma construção.

Esta recente declaração de Silva Pereira, que Henrique Granadeiro (da PT) veio agora informar publicamente que não comunicou nada ao governo sobre o negócio, só veio confirmar as nossas deduções. Bingo!

E se isto fosse assim tão inocente e transparente, o próprio President, (que sempre cooperou estrategicamente até agora), viria alertar os administradores?

 

A ficção nacional vai continuar, porque quem a construiu nada é sem ela. Quando for desmontada, porque nenhuma ficção se mantém por muito tempo sem revelar partes da realidade que quer esconder, vai ser com bastante impacto, como nas telenovelas.

 

O que mais me preocupa é o seguinte: se as pessoas não gostassem tanto de telenovelas, esta ficção nacional já teria sido desmontada. Mas tudo isto é preparado por pros, não são amadores. Estes pros conhecem bem esta tendência generalizada.

 

Há que estar atento às cenas dos próximos capítulos que nos ajudarão a reconstituir o resto da telenovela. O enredo não é grande coisa, mas já viram o que os rosinhas pensam da nossa inteligência? Pensam que somos todos muito burros e ignorantes.

 

Outras telenovelas estão a ser preparadas, ao milímetro, para entreter as alminhas mais distraídas. Isto até às eleições vai aquecer... os ânimos estão ao rubro. Para manter a distância saudável que permite a racionalidade e a sensatez, desligo a televisão. É o melhor. 

 

 

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 16:04



Mais sobre mim

foto do autor


Subscrever por e-mail

A subscrição é anónima e gera, no máximo, um e-mail por dia.


Arquivo

  1. 2017
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2016
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2015
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2014
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2013
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2012
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2011
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2010
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2009
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D
  118. 2008
  119. J
  120. F
  121. M
  122. A
  123. M
  124. J
  125. J
  126. A
  127. S
  128. O
  129. N
  130. D
  131. 2007
  132. J
  133. F
  134. M
  135. A
  136. M
  137. J
  138. J
  139. A
  140. S
  141. O
  142. N
  143. D